United States
Select country
  • Europe
  • North America
  • South America
  • Asia / Pacific
  • Middle East / Africa
Safegate

Determinação da distância de segurança

Calcolo distanza sicurezza
 

OBSERVAÇÃO

Ao calcular a distância de segurança, considere ainda as tolerâncias de instalação, precisão do tempo de resposta medido e possível deterioração do desempenho do sistema de freio da máquina.

 

É aconselhável aumentar o valor calculado em pelo menos 10% para considerar as tolerâncias de instalação, precisão do tempo de resposta e possível degradação do desempenho do sistema de freio.

 

Conforme pode ser visto nas fórmulas, o tempo de parada total desempenha uma função importante no cálculo da distância de segurança; Quando uma deterioração no tempo de frenagem é esperada, um dispositivo de monitoramento do Tempo de Parada (SPM) é exigido.  A verificação do tempo de parada não é necessária quando:

  • O sistema é muito confiável e não sujeito à deterioração
  • A máquina é parada apenas raramente
  • Controle preventivo eficaz dos sistemas de frenagem da máquina é implementado.
 

A eficácia da proteção depende principalmente do posicionamento correto da cortina de luz em relação ao perigo.

A cortina de luz deve ficar localizada a uma distância maior ou igual à distância de segurança mínima, S, de forma que alcançar o ponto perigoso será possível somente quando a ação perigosa da máquina tiver sido parada.

A cortina de luz deve ser posicionada de forma que:

  • Ela evite que seja alcançado o ponto perigoso sem passar pela zona controlada pela cortina de luz.
  • Uma pessoa não pode estar presente na zona perigosa sem que sua presença seja detectada. Deveria ser necessário recorrer à dispositivos de segurança adicionais (ou seja, cortinas de luz fotoelétricas dispostas horizontalmente). 

O Padrão Europeu EN SO 13855 fornece os elementos para a determinação da distância de segurança.

A máquina é controlada por um Padrão do tipo C específico, sendo que o último deverá ser tido em conta.

Se as distâncias calculadas provarem ser excessivas, será necessário:
a) reduzir o tempo de parada total da máquina,
b) melhorar a potencialidade de detecção (resolução) da cortina de luz.

fig22

Proteção unilateral

fig23

Proteção dos três lados utilizando espelhos de deflexão

 
FÓRMULA GERAL PARA A DETERMINAÇÃO DA DISTÂNCIA MÍNIMA DE SEGURANÇA  

S = K x T + C

S distância de segurança mínima entre o ponto perigoso e a proteção, expressa em mm.
K

velocidade de aproximação do corpo ou partes do corpo, expressas em mm / seg.
K = 2000 mm/seg. para a distância de segurança até 500 mm (para a velocidade de movimento do braço)

K = 1600 mm/seg. para a distância de segurança maior do que 500 mm (velocidade de movimento do corpo)

 

T tempo de parada total da máquina, consistindo de:
tempo de reação t1 do dispositivo de proteção, em segundos
tempo de reação t2 da máquina, em segundos, até ela parar a ação perigosa.
C distância adicional em mm.


DIREÇÃO DE APROXIMAÇÃO PERPENDICULAR AO PLANO PROTEGIDO COM Α=90° (± 5°)
 Logo ditoLogo mano Cortinas de luz com resolução para a detecção de mãos e dedos. Resolução das cortinas de luz (d): 14 - 20 - 30 - 40 mm

 perpendicolare

1. Ponto perigoso
2. Área sensível
3. Plano de referência
S. Distância de segurança
a. Altura do ponto perigoso

Determinação da distância mínima de segurança:

S = K x T + C

 

S=2000xT+8x(d-14)

  • A distância S não deve ser menor do que 100 mm
  • Se a distância S for maior do que 500 mm, é possível recalcular a distância usando K=1600, todavia nessas  circunstâncias a distância não deve, em hipótese alguma, ser menor do que 500 mm

S=1600xT+8x(d-14)

K = 2000 ou 1600 (veja os cálculos a seguir)

 

T = t1 + t2 “Fórmula geral para a determinação da distância de segurança”

C = 8x(d-14)

Logo accesso Cortinas de luz com uma resolução para a detecção de braços e pernas. Resolução das cortinas de luz (d): 50 - 90 mm

perpendicolare

1. Ponto perigoso
2. Área sensível
3. Plano de referência
S. Distância de segurança
a. Altura do ponto perigoso

Determinação da distância mínima de segurança:

S = K x T + C

 

S= 1600xT + 850

K = 1600


T = t1 + t2 “Fórmula geral para a  determinação da distância de segurança”


C = 850

Logo ditoLogo manoLogo accesso Possibilidade de alcançar o ponto perigoso inclinando-se na borda da área sensível

caso2

1. Ponto perigoso
2. Área sensível
3. Plano de referência
a. Altura do ponto perigoso

b. Altura do feixe mais elevado
S. Distância de segurança

Determinação da distância mínima de segurança:

S = K x T + C

 

S= KxT + CR0

 

Observação:

  • A interpolação não é permitida.
  • Se as distâncias a, b ou CRO caírem entre os valores relacionados na tabela, use o mais elevado.
  • CRO (alcançando mais) calculado usando a Tabela 1 da ISO 13855:2010 deve ser comparado ao C, conforme calculado convencionalmente (veja o parágrafo 1). Selecione sempre o valor mais elevado.

Neste caso C, chamado “CRO” é obtido na Tabela 1 a seguir da ISO 13855:2010.

 

K = 2000 or 1600 (veja os cálculos  a seguir)

 

T = t1 + t2 “Fórmula geral para a  determinação da distância de segurança“

 

Altura da zona de perigo “a”

Altura “b” da borda superior da área protegida pela cortina de luz fotoelétrica
900 1000 1100 1200 1300 1400 1600 1800 2000 2200 2400 2600
Distância alternativa CR0
2600 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2500 400 400 350 300 300 300 300 300 250 150 100 0
2400 550 550 550 500 450 450 400 400 300 250 100 0
2200 800 750 750 700 650 650 600 550 400 250 0 0
2000 950 950 850 850 800 750 700 550 400 0 0 0
1800 1100 1100 950 950 850 800 750 550 0 0 0 0
1600 1150 1150 1100 1000 900 800 750 450 0 0 0 0
1400 1200 1200 1100 1000 900 850 650 0 0 0 0 0
1200 1200 1200 1100 1000 850 800 0 0 0 0 0 0
1000 1200 1150 1050 950 750 700 0 0 0 0 0 0
800 1150 1050 950 800 500 450 0 0 0 0 0 0
600 1050 950 750 550 0 0 0 0 0 0 0 0
400 900 700 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
200 600 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

 

 Logo ditoLogo manoLogo accesso Para as proteções mecânicas e eletrosensíveis combinadas (conforme mostrado), onde seria possível encostar-se na proteção mecânica e contornar a cortina de luz

caso2a

1. Ponto perigoso
2. Área sensível
3. Plano de referência
a. Altura do ponto perigoso
b. Altura da borda superior
S. Distância de segurança

Para o cálculo do parâmetro C, deve ser usada a

  • Tabela 1 (para aplicações de baixo risco) ou a
  • Tabela 2 (para aplicações de alto risco) 

da ISO 13857:2007 (anteriormente EN 294) em lugar da tabela da página anterior.


Neste catálogo, as duas tabelas da ISO 13857:2007 (anteriormente EN 294) - Distâncias de segurança para evitar que as zonas de perigo sejam alcançadas pelos membros inferiores e superiores - não são mencionadas.

Logo corpo  

Cortinas de luz para a detecção da presençado corpo em uma área perigosa.

Cortinas de luz com 2 - 3- 4 feixes

 

4 raggi

1. Ponto perigoso
3. Plano de referência
S. Distância de segurança
Hra. Altura do feixe mais alto
Hrb. Altura do feixe mais baixo

Determinação da distância mínima de segurança:

S = K x T + C

 

S= 1600xT + 850

Observação para cortinas de luz de 2 feixes:

  • H feixe inferior = 400 mm (pode ser usado desde que permitido pela análise de riscos).
  • H feixe superior = 900 mm

Observação para cortinas de luz de 3 feixes:

  • H feixe inferior = 300 mm
  • H feixe intermediário = 700 mm
  • H feixe superior = 1100 mm
  • Observação para cortinas de luz de 4 feixes:
  • H feixe inferior = 300 mm
  • H feixe intermediário 1 = 600 mm
  • H feixe intermediário 2 = 900 mm
  • H feixe superior = 1200 mm

Altura dos feixes a partir do plano de referência (por exemplo, assoalho).

K = 1600


T = t1 + t2 “Fórmula geral para a  determinação da distância de segurança”


C = 850

DIREÇÃO DE APROXIMAÇÃO PARALELA AO PLANO PROTEGIDO COM Α=0° (± 5°)
Logo corpo Cortinas de luz horizontais para o controle de presença em uma área perigosa
orizzontale1. Ponto perigoso
2. Área sensível
3. Plano de referência
a. Altura do ponto perigoso
x. Distância entre a extremidade da zona de detecção e a borda da máquina
S. Distância de segurança
H. Altura da área sensível

Determinação da distância mínima de segurança:

S = K x T + C

 

S= 1600xT + (1200-0,4xH)

 

Observação:

  • C = 1200 - (0,4 x H) deve ser igual ou maior do que 850 mm
  • A altura máxima permitida é: Hmax = 1000 mm
  • A altura H depende da resolução d das cortinas de luz e é determinada através da fórmula a seguir:
    H = 15 x (d - 50)
  • Esta fórmula também pode ser usada para determinar a resolução máxima que pode ser usada em diferentes alturas
    d = H / 15 + 50
  • Por exemplo, os limites de resolução máximos serão:
    para H = 1000 mm    d = 116 mm
    para H = 0 mm    d = 50 mm
  • Se H for maior do que 300 mm, no estágio da avaliação de riscos torna-se necessário considerar a possibilidade de acesso por debaixo dos feixes

Ao utilizar uma cortina de luz como uma combinação de dispositivo sensível à presença e desengate, a distância x deve ser menor ou igual a potencialidade de detecção

K = 1600

 

T = t1 + t2 “Fórmula geral para a  determinação da distância de segurança”

 

C = 1200 - (0,4 x H)

DIREÇÃO DE APROXIMAÇÃO ANGULAR AO PLANO PROTEGIDO COM 5°< Α <85°
Logo mano  Logo corpo Cortinas de luz inclinadas para detectar mãos e braços e para o controle de presença na área perigosa

 

inclinato

1. Ponto perigoso
2. Área sensível
3. Plano de referência
a. Altura do ponto perigoso
S. Distância de segurança
x. Distância entre a extremidade da zona de detecção e a borda da máquina
Hra. Altura do feixe mais alto
Hrb. Altura do feixe mais baixo

Com o ângulo α >30°, consulte o caso a “APROXIMAÇÃO PERPENDICULAR AO PLANO PROTEGIDO”.

Observação:

  • A distância S refere-se ao feixe mais afastado do ponto perigoso
  • A altura do feixe mais afastado do ponto perigoso não pode ser maior do que 1000 mm

Com o ângulo α >30°, consulte o caso a “APROXIMAÇÃO PARALELA AO PLANO PROTEGIDO”.


Observação:

  • Para a determinação da altura H ou  resolução d aplique as fórmulas a seguir ao feixe mais baixo:
    H = 15 x (d - 50)
    d =   H / 15 + 50
  • Ao utilizar uma cortina de luz como uma combinação de dispositivo sensível à presença e desengate, a distância x deve ser menor ou igual à potencialidade de detecção.

 

Próximo ... Altura protegida das cortinas de luz